[1]
R. Friede, “A GARANTIA DA IMPARCIALIDADE JUDICIAL ATRAVÉS DO FORO POR PRERROGATIVA DE FUNÇÃO”, Rev CEJ, jul. 2022.